Critérios para a escolha de peças decorativas - Design de Interiores
Design de Interiores

Critérios para a escolha de peças decorativas

By Agosto 13, 2020 Setembro 21st, 2020 No Comments

Numa decoração, por mais simples e minimalista se pretenda que seja, os critérios para a escolha de peças decorativas desempenham sempre um papel fundamental.

Muitas vezes as pessoas conseguem encontrar com alguma facilidade, peças para mobilar a sua casa. Mas quando chega a altura de as conjugar com iluminação, tapetes, quadros, papel de parede e até bibelots, podem sentir-se totalmente perdidas.

Para ajudar a desmistificar algumas conceitos pré-definidos e clarificar as ideias, a equipa de Design de Interiores da Ginkgo Design Studio prepararam este artigo com algumas dicas essenciais que não vai querer perder:

DECORAÇÃO VERTICAL:

Quando temos muitas paredes livres e não sabemos como as decorar, temos um sem número de artigos que podemos utilizar. Tais como: espelhos, quadros, telas, papel de parede, painéis murais, relógios, apliques e até esculturas. É importante não repetir a mesma ideia de peça em zonas perto umas das outras de modo a não criar espaços monótonos.

Outra dica essencial é tirar partido do espaço livre existente na própria parede. Caso esse espaço seja vertical, devemos escolher uma peça que acompanhe essa verticalidade, utilizando-se o mesmo critério para espaços horizontais. Por outro lado, caso haja uma grande repetição de linhas rectas, o ideal será recorrer a formas mais orgânicas, de modo a criar movimento e despertar o interesse dos espectadores.

DECORAÇÃO VERTICAL - Critérios para a escolha de peças decorativas

ILUMINAÇÃO:

Escolher o tipo de iluminação que se pretende é extremamente importante para conseguirmos obter os ambientes pretendidos. É importante, criar vários pontos de iluminação, oscilando entre a iluminação geral, através de focos, e a iluminação mais direccionada. 

Por exemplo, nos quartos, é importante ter uma iluminação geral de tom quente, criando um ambiente mais calmante e ter em cada mesinha 2 luzes mais ténues, preferencialmente direccionáveis caso haja hábito de leitura antes de dormir.

Numa sala de estar é também essencial uma iluminação geral mais forte e confortável com pelo menos um ponto de luz de presença para criar um ambiente mais suave e acolhedor.

Por sua vez na sala de jantar é essencial um bom candeeiro pendente para decorar e iluminar de forma satisfatória um belo jantar de família ou amigos. É também importante que este candeeiro tenha um formato que se enquadre com a mesa criando dinamismo e destaque sobre a peça.

ILUMINAÇÃO - Critérios para a escolha de peças decorativas

DECORAÇÃO HORIZONTAL:

No que toca a bibelots e peças decorativas para colocar na horizontal, há um sem número de opções. Importante é diversificar bastante criando contrastes quer ao nível das formas, quer ao nível das cores e texturas. Quanto mais interessante, melhor. Já não se usa tudo a condizer, mas é essencial que haja alguma referência àquela cor, forma ou textura em algum outro elemento da decoração daquele mesmo espaço.

Ou seja, devemos respeitar as cores existentes no espaço. Podendo combinar quantas quisermos, mas indo sempre buscar uma outra referência, nem que seja numa almofada decorativa do sofá.

É também importante respeitar a hierarquia de tamanhos, ou seja, as peças mais altas ficam por trás e as mais baixas à frente. Devendo preferencialmente combinar formas, cores, padrões e texturas diferentes, que se interligam entre si.

Podemos ainda misturar vários metais, pois dão sempre um toque sofisticado e nobre a qualquer decoração e criar vários pontos com detalhes metálicos ao longo da decoração. Sempre sem exagerar e mantendo o equilíbrio.

DECORAÇÃO HORIZONTAL - Critérios para a escolha de peças decorativas

TÊXTEIS:

A escolha dos tecidos, tapetes, cortinados e almofadas é sempre uma grande dor de cabeça para muitas pessoas. Para a equipa da Ginkgo Design Studio, é onde as coisas se tornam ainda mais interessantes, pois é através destas peças que a casa ganha vida, conforto e calor, tornando-se um verdadeiro lar.

Temos sempre que começar por escolher um ou dois tons base e neutros e depois complementar com duas a quatro cores decorativas. Esta parte é muito pessoal e deve-se ter sempre em conta o gosto do cliente, uma vez que as cores têm um grande impacto na forma como cada pessoa vive a sua casa. 

Pode-se escolher algum padrão mais arrojado para um tapetes e almofadas decorativas, caso o mobiliário e tecido do sofá sejam mais lisos. O critério é o mesmo para os quartos, devendo ter-se sempre em conta as cores mais calmantes em tons pastéis, tais como bege, azul, verde, malva e rosa sempre em tom suave.

O cortinado pode ter algum padrão apenas se a restante decoração for mais leve. Caso contrário deverá permanecer discreto e sempre num tom claro de modo a aproveitar ao máximo a luz natural.

TÊXTEIS - Critérios para a escolha de peças decorativas


O serviço de Design de Interiores da Ginkgo tem em conta os critérios da escolha de peças decorativas e todos os factores associados na hora de decorar um espaço, trabalho que desenvolvemos com rigor e detalhe. 

Cada pormenor conta e as preferências individuais dos nossos clientes. Estes são um dos factores decisivos para o sucesso do resultado final, para ambientes decorados à sua medida.  

A nossa maior recompensa é constatar a satisfação dos nossos clientes, realizados com a decoração que sempre idealizaram.

Já tem algumas peças compradas mas não sabe como as conjugar?

Precisa de ajuda nos critérios para a escolha de peças decorativas para o seu espaço?

Fale connosco!

Fontes:
Vibia | Harlequin | Eurico Rebelo | Nomon

Deixe o seu comentário